BLOG

Lavatórios Cirúrgicos em Inox: o que são e para que servem.

O lavatório cirúrgico em aço inox é fabricado, como já está dizendo, com aço inoxidável de alta qualidade, com várias medidas diferentes e diferentes modelos também. É uma excelente escolha para quem necessita desse tipo de produto. Ele não só é utilizado em hospitais, podem ser utilizados em diversas áreas.

A escolha do aço inox é bastante acertada, pois a resistência e durabilidade são muito grandes e a higienização também se torne muito mais fácil, pois não acumula resíduos e bactérias, evitando contaminação.

Assim, os lavatórios em inox têm como características principais: pode-se adaptar facilmente o produto ao ambiente que será utilizado, alta durabilidade, resiste ás variações de temperatura, assepsia fácil, o que garante um risco quase zero de contaminação pelos profissionais que o utilizam e também para os pacientes que estão sendo tratados.

Geralmente, os Lavatórios em Aço Inox são utilizados em ambientes como hospitais, clínicas, laboratórios e clinicas veterinárias, porém também são amplamente utilizados em cozinhas industriais, indústrias alimentícias, frigoríficos e onde mais a exigência de assepsia de mãos e utensílios se faça necessária.

Limpeza e Conservação

A limpeza e conservação dos lavatórios em inox é bastante fácil e simples, pois existem produtos de limpeza específicos para isso, sem conter abrasivos em sua fórmula, o que prejudicaria o equipamento. Pode-se utilizar, também, agua e sabão e um pano macio para fazer a higienização.

Artigo Acadêmico

Abaixo, você terá a oportunidade de ler um resumo publicado pela ANVISA que explica academicamente, sobre os lavatórios de uso hospitalar.

“Entre os equipamentos necessários para a higienização das mãos estão incluídos os lavatórios/ pias, lavabo cirúrgico, dispensadores de sabonete e antissépticos, porta-papel toalha e lixeira para descarte do papel toalha.

Lavatório, pia de lavagem e lavabo cirúrgico

Os equipamentos básicos para a higienização das mãos incluem:

  • Lavatório – exclusivo para a higienização das mãos. Possui formatos e dimensões variadas, devendo ter profundidade suficiente para que o profissional de saúde lave as mãos sem encostá-las nas paredes laterais ou bordas da peça e tampouco na torneira, além de evitar respingos nas laterais do lavatório, no piso e no profissional. Deve estar sempre limpo e em funcionamento. Pode estar inserido em bancadas ou não.
  • Pia de lavagem – destinada preferencialmente à lavagem de utensílios, pode ser usada, também, para a higienização das mãos. Possui profundidade variada, formato retangular ou quadrado e dimensões variadas. Sempre está inserida em bancadas.
  • Lavabo cirúrgico – exclusivo para o preparo cirúrgico das mãos e antebraços. Possui profundidade suficiente para permitir a lavagem do antebraço sem que o mesmo toque no equipamento. Lavabos com uma única torneira devem ter dimensões mínimas iguais a 50 cm de largura, 100 cm de comprimento e 50 cm de profundidade. A cada nova torneira inserida deve-se acrescentar 80 cm ao comprimento da peça.

Segundo a RDC n° 50 da Anvisa, de 21 de fevereiro de 2002 (BRASIL, 2002), sempre que houver paciente (acamado ou não) examinado, manuseado, tocado, medicado ou tratado, é obrigatória a provisão de recursos para a higienização das mãos por meio de lavatórios ou pias para uso da equipe de assistência. Nos locais de manuseio de insumos, amostras, medicamentos e alimentos também é obrigatória a instalação de lavatórios/pias. De acordo com a legislação supracitada, todos os lavatórios, pias e lavabos cirúrgicos devem possuir torneiras ou comandos do tipo que dispensem o contato das mãos quando do fechamento da água. Junto a estes deve existir provisão de sabonete líquido, além de recursos para secagem das mãos. Nos ambientes em que sejam executados procedimentos invasivos, dispensados cuidados a pacientes críticos e/ou nos quais a equipe de assistência tenha contato direto com feridas e/ou dispositivos invasivos como cateteres e drenos, deve existir, além do sabonete citado, provisão de antisséptico junto às torneiras de higienização das mãos. Nos lavabos cirúrgicos, a torneira não pode ser do tipo de pressão com temporizador, sendo que o acionamento deve ocorrer com o cotovelo, pé, joelho ou célula fotoelétrica.”

Deixe seu Comentário
Deixe seu Comentário